Rainer Brockerhoff comenta Apple + Intel

Uma das referências brasileiras no mundo Mac, Rainer Brockerhoff gentilmente nos concedeu uma pequena entrevista, onde ele coloca seus pontos-de-vista sobre a nova parceria apresentada na última WWDC. Transcrevemos a entrevista abaixo.

Macnarama: Qual a tua opinião pessoal a respeito deste movimento? Pensas ser uma decisão correta sob o ponto-de-vista técnico, como desenvolvedor? E tua opinião como usuário?

Rainer Brockerhoff: Como usuário, não faz diferença para mim. Mudo de equipamento de ano em ano, ou no máximo de dois em dois. Usei um Mac com Pentium aqui e não vi a menor diferença no funcionamento, na embalagem etc. 99% dos programas e todo o sistema são compilados para ambas as plataformas; tudo junto ocupa mais espaço, mas tudo funciona.

M: Baseado na tua experiência de programador, principalmente de utilitários de sistema, acreditas que a transição para a nova plataforma será difícil, mesmo com o kit oferecido pela Apple? Quais serão os prováveis problemas a serem encontrados por desenvolvedores?

RB: Depende muito. Recompilei vários aplicativos meus que usam Cocoa e não tive que mudar uma única linha. Um único que dependia de detalhes de ordem de armazenamento levou 1 hora para converter… é só olhar certos tipos de operação e colocar uma chamada de sistema em volta. Mas imagino que quem otimizou seu código para Altivec – tipo, para processamento multimídia, ou jogos – deve encontrar dificuldades. Mesmo para esses casos a Apple tem bibliotecas que ajudam a fazer versões futuras completamente portáveis.

Vai haver uma dificuldade para depurar estes programas enquanto não houver Mac Intel no mercado. O kit de transição custa US$999 nos Estados Unidos e é só alugado, tem que devolver no final de 2006. No Brasil ainda não se sabe quanto fica, mas já conversei com muita gente da Apple (inclusive de alto nível) e prometeram fazer o possível para facilitar.

Acho que o maior problema vai ser psicológico… mas as novas ferramentas que a Apple lançou, e que já estão comigo, facilitam muito as coisas.

M: Tu vais continuar a produzir software para Apple? Por que?

RB: Claro! Agora vai vender muito mais…

M: No final, qual tua conclusão do evento Apple + Intel?

RB: Não se deve supor que agora a Apple vai se agarrar ferrenhamente à arquitetura Intel, como estava agarrada ao PowerPC. Eu acho que programas de dupla arquitetura vão ser produzidos indefinidamente – certamente por pelo menos 4 ou 5 anos. E a Intel sabe que ao menor vacilo, ou se um novo chip sair que é melhor, a Apple agora pode migrar para ele sem aviso prévio.

Saiba mais
Rainer Brockerhoff: WWDC: Winners and losers

Marco Andrei Kichalowsky

Editor-chefe do macnarama.com, é applemaníaco e trabalha com produtos Apple desde 1993. Foi presidente do Brasil Apple Clube durante 10 anos e colaborador da saudosa Macmania e sua herdeira MAC+ até o fim da revista em 2015.

7 comentários em “Rainer Brockerhoff comenta Apple + Intel

  • 10 de março de 2009 em 17:22
    Permalink

    Eduardo:

    Um dos motivos foi o descaso da IBM com o seu produto PowerPC. Outro foi para atingir a mesma velocidade e preços de seus concorrentes, como a Dell e a HP.

    Saudações macmaníacas,
    Marco Andrei

  • 9 de abril de 2006 em 23:11
    Permalink

    ola sou estudante de sistema de informação e gostaria e saber se podiam me ajudar a saber o pq a apple decidiu mudar seus prcessadores para a intel.
    agradeço desde ja.
    eduardo

  • 14 de março de 2006 em 11:15
    Permalink

    Prezada(o) buceta:

    Infelizmente não entendemos muito o teu comentário, mas acredito ser positivo. Por favor, escreva algo mais claro da próxima vez, para podermos estabelecer uma comunicação mais frutífera.

    Grato.

  • 1 de novembro de 2005 em 15:23
    Permalink

    Prezado ollo:

    Imagino que a Apple viu que a Intel pode oferecer um outro tipo de hardware poderoso a longo prazo, algo que a IBM não pode ou não soube vender para a Apple.

    Por outro lado, os processadores G4/G5 são bastante poderosos e hoje apresentam um desempenho igual senão melhor que os Intel Pentium.

    Saudações!

  • 1 de novembro de 2005 em 13:21
    Permalink

    a makina intel p4 extrem parte os macintouch todos nao les da hipotse voces na devem saber o poder ke teem a intel!!

  • 19 de junho de 2005 em 18:39
    Permalink

    Prezado Edson:

    Acho que há um equívoco teu em comentar que “sempre existe aquele atraso no clik do mouse” ou “precisa de um G5 dual de gigazilion de velocidade pra se equiparam a um Pentium 4 3”. Em geral, os bechmarks de PCs X Macs são Dual Xeon contra Dual G5 (dois processadores em cada máquina). Nestes, mesmo com o clock de 2,7Ghz contra 3,6GHz dos Xeon, os G5 ficam muito próximos, sendo mais rápidos em alguns quesitos. Um artigo interessante está aqui: http://www.anandtech.com/mac/showdoc.aspx?i=2436.

    De qualquer maneira, entendo que utilizar um Mac não é apenas querer ter a máquina mais rápida do mundo, mas ter um computador amigável, seguro e fácil de operar.

    Saudações!

  • 18 de junho de 2005 em 9:00
    Permalink

    Como voces podem ver pelo email um macmaniaco, mas a dúvida total é um MACTEL custará o mesmo preço dos PCs? e usar o Chip Intel o tornará tão rápdio quanto os PCs ? No OSX por melhor que seja a sua máquina sempre existe aquele atraso no clik do mouse até a janela toda montar na sua tela, enquanto um PC monta tudo rápidinho e de acordo com benchmarks voce precisa de um G5 dual de gigazilion de velocidade pra se equiparam a um Pentium 4 3. qualquer coisa, Me desculpem assumo a minha ignorância em falar de computador mas a verdade agente sente quando usa um computador independente de ser um cientista de informática. A Apple sempre mentiu demais e nós pagamos esse tempo todo.Eu estou deixando a plataforma, Grato.
    Edson Nardi.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *