Apple finaliza a aquisição do reconhecedor de músicas Shazam

Agora é oficial:  anunciada no final do ano passado, somente neste mês de setembro a Apple anunciou que completou a aquisição do Shazam, conhecido aplicativo que permite aos usuários identificar músicas, comerciais e outros a partir de pedaços de áudio.

Apesar do valor da empresa ter sido avaliado em torno de 1 bilhão de dólares, a transação foi em torno de 400 milhões de dólares.

A demora se deu pela investigação antitruste promovida pela União Europeia durante este ano e que foi finalizada no começo de setembro. A UE deu o aval para a compra da empresa britânica pela Apple, por considerar que a aquisição não iria prejudicar a competitividade no bloco.

Tudo indica que a compra teve o objetivo de integrar o Shazam a algum produto da Apple, mais provavelmente o Apple Music, que passaria a contar com a nova funcionalidade de reconhecimento musical, já presente em outros aplicativos, como é o caso do Deezer. Além dele, a Siri também consulta o aplicativo assim que questionada sobre qual a música que está tocando no ambiente. Ainda, o reconhecimento poderia ser incorporado totalmente ao iOS, assim como a Google fez com o recurso de reconhecimento do Pixel.

Outra probabilidade é a empresa da maçã decidir descontinuar o aplicativo, o que removeria as referências para o Spotify, que concorre com o Apple Music pelos 1 milhão de cliques por dia do Shazam.

O vice- presidente do Apple Music, Oliver Schusser, disse em um comunicado oficial “estamos empolgados para reunir nossas equipes e oferecer aos usuários ainda mais maneiras de descobrir, experimentar e curtir músicas”.

A Apple disse ainda que “O aplicativo em breve oferecerá sua experiência livre de anúncios para todos os usuários, para que todos possam aproveitar o melhor do Shazam sem interrupções”.

É provável que a Apple também esteja interessada na tecnologia de realidade aumentada do Shazam, o que poderia ajudar a melhorar suas próprias ofertas. A Shazam possui tecnologia de reconhecimento visual e uma plataforma AR para marcas que podem ajudar no desenvolvimento de um recurso de tipo Google Lens.