Ex-executivo da Apple prevê queda da Intel e migração dos PCs para processadores ARM

Sim, é isso mesmo que está escrito. Empresas como Intel, AMD e Nvidia estão com seus dias contados se não largarem a arquitetura x86. E sim, tudo isso vai ocorrer por causa da Apple estar migrando para a arquitetura ARM em detrimento a sua parceira Intel.

Parece utópico demais, mas esse é o pensamento de nada mais nada menos que Jean-Louis Gassée, ex-executivo da Apple que entrou no lugar de Steve Jobs como líder do desenvolvimento do Mac nos anos 80 e foi responsável pelo lançamento de produtos como o Macintosh Portable e por iniciar o projeto do que seria o Newton MessagePad.

Segundo Gassée, a decisão da Apple de eliminar progressivamente os processadores Intel em favor de seu próprio processador baseado na arquitetura RISC irá pressionar “os fabricantes de computadores pessoais a reconsiderarem sua lealdade à arquitetura x86 (…) e isso trará consequências para a parceria Wintel”.

Ao contrário da migração para a arquitetura Intel em 2006, que foi aceita de bom grado e fora sem percalços, sendo mais rápida que o previsto, a decisão de migrar para chips RISC de projeto próprio da Apple foi recebida com grande ceticismo pelo mercado e pela mídia. Sean Hollister do The Verge comenta que é “difícil dizer o quão rápidos poderão ser os novos Macs com chips ARM”. Gordon Mah Ung da PCWorld comenta inclusive que chegou a hora de “parar de comprar Macs” e David Gewirtz da ZDNet questiona se não é a hora dos usuários de Mac migrarem para o Windows. (Lembro que não teremos mais Boot Camp, o que significa que o Windows não vai mais rodar nativamente no Mac.)

Outros analistas ainda duvidam em como o Mac Pro poderia permanecer uma máquina relevante e de alta potência rodando com processadores ARM. É o que se deduz do relatório da Bloomberg que prevê que o primeiro produto ARM seria um notebook (MacBook pessoal), já que os primeiros chips personalizados da empresa não conseguirão rivalizar com o desempenho que a Intel oferece para linha profissional, incluindo os MacBook Pro, iMac e Mac Pro de ponta.

Mas nem tudo é contrariedade. Ewan Spence da Forbes aparentemente concorda com Gassée e diz que a “coragem da Apple em basear o macOS no ARM elevará a indústria”. De fato, o que Gassée descreve em seu artigo “Apple Silicon: The Passing of Wintel” (“Chip Apple, a Morte do Wintel” em tradução livre) é um efeito dominó que irá impactar a indústria de PCs em como ela existe atualmente. A Apple vai começar a migrar completamente para o ARM e a Microsoft terá que se esforçar mais para fazer o Windows funcionar com ARM, porque a única opção contrária é “ceder o mercado de computadores pessoais de ponta para a Apple”. Ela não irá fazer isso, obviamente.

“Apple e Microsoft fizeram com que a arquitetura x86 parecesse o que ela realmente é: antiga.”

— Jean-Louis Gassée

“A Microsoft irá seguir em frente (…) com repercussões para o restante da indústria de PCs com Windows. Especificamente, o que Dell, HP, Asus e outras empresas farão se a Apple oferecer computadores melhores e a Microsoft continuar aprimorando o Windows em seus dispositivos Surface baseados no ARM? Para competir, os fabricantes de PCs terão que seguir o exemplo, eles irão migrar para o ARM porque, com toda a retórica defensiva à parte, Apple e Microsoft fizeram com que a arquitetura x86 parecesse o que ela realmente é: antiga”, completa Gassée.

Obviamente isso não vai acontecer da noite para o dia, como o próprio Gassée admite. Ele também está ciente de que a participação da Apple no mercado de PCs atualmente é inferior a 7%. Vale lembrar, no entanto, que o lançamento do G3 pela antiga parceria Motorola/IBM/Apple gerou um rebuliço no mercado e deu um empurrãozinho para Intel acelerar seu desenvolvimento de uma arquitetura mais eficiente.

Pois novamente a Intel tem um “problema sério” em suas mãos e pode estar com apenas uma opção: “junte-se a eles” e construa um chip RISC competitivo para recuperar a atenção dos seus grandes parceiros, como a Dell, HP e Asus.

É vapor? Sabemos que não. Os MacBook Pro esquentam muito e os novos iPad Pro são velozes e eficientes. E falta só 2 anos para finalizar a migração. A Intel que se cuide.

Autor: Marco Andrei Kichalowsky

Editor-chefe do macnarama.com, é applemaníaco e trabalha com produtos Apple desde 1993. Foi presidente do Brasil Apple Clube durante 10 anos e colaborador da saudosa Macmania e sua herdeira MAC+ até o fim da revista em 2015.