Os AirPods são perigosos à saúde?

Uma petição assinada por 250 especialistas foi dirigida às Nações Unidas  e à Organização Mundial de Saúde no sentido de pressionar a Apple e outras fabricantes de fones de ouvido sem fios  (incluindo os AirPods) a esclarecer os usuários sobre os riscos que os aparelhos poderiam causar na saúde de seus usuários.

O documento cita especificamente a tecnologia Bluetooth nos aparelhos. Por estarem nos ouvidos e muito próximos ao cérebro, a radiação emitida no seu uso poderia causar efeitos nocivos ao usuário, incluindo a possibilidade de desenvolver algum tipo de câncer, doenças neurológicas e até mesmo alterações no DNA.

A verdade é que a comunidade científica ainda não tem um veredito acerca da hipótese destes dispositivos poderem causar ou não câncer, mas estudos em animais sobre o tipo de radiação de radiofrequência que eles emitem sugeriram uma ligação com o câncer. E, em alguns casos, os níveis de radiação considerados carcinogênicos foram significativamente menores do que o máximo permitido pelas diretrizes federais e internacionais.

O Bluetooth representa mesmo uma ameaça?

O Bluetooth opera usando a emissão de ondas de rádio de baixa potência. O risco mais óbvio e bem estabelecido de ondas de rádio é que, em níveis altos, podem gerar calor e causar queimaduras.

Em pesquisas atuais, cientistas ainda estão trabalhando nos efeitos da exposição a ondas de rádio de baixa potência a longo prazo. Essas formas de energia são poderosas o suficiente para sacudir os átomos que compõem as células, mas não são poderosas o suficiente para mudar fundamentalmente suas estruturas.

Entretanto, estudos mostraram que quando se expõe animais a esta forma de radiação, os danos reprodutivos, neurológicos e genéticos tornaram-se mais comuns nesses animais do que seria esperado em uma amostra normal dos mesmos animais.

O contraponto é feito pelo pesquisadora em Bioengenharia da Universidade da Pensilvânia Kenneth Foster que diz que “estudos mostrando uma conexão  entre radiação de dispositivos móveis e câncer não tem nenhuma credibilidade”, já que não foi encontrada até hoje uma evidência clara de efeitos nocivos à saúde em níveis de exposição abaixo dos limites internacionais.

Enquanto isso, no ano passado, a Apple vendeu 28 milhões de pares de seus minúsculos fones de ouvido sem fio brancos. No ano anterior, eles venderam 16 milhões de pares. Com um novo modelo a caminho, a empresa de tecnologia deve lucrar ainda mais.

__

Com informações da Men’s Health, MSN Austrália e iDropNews.